Leituras da Quarentena – conto#6 – “A causa secreta” (Machado de Assis, 1885/1896)

Garcia, em pé, mirava e estalava as unhas; Fortunato, na cadeira de balanço, olhava para o teto; Maria Luísa, perto da janela, concluía um trabalho de agulha. Havia já cinco minutos que nenhum deles dizia nada. Tinham falado do dia, que estivera excelente, — de Catumbi, onde morava o casal Fortunato, e de uma casa … Continue lendo Leituras da Quarentena – conto#6 – “A causa secreta” (Machado de Assis, 1885/1896)

Nicolau – inveja e barbárie

por Priscilla Lima “Quando ‘Nicolaus’ ocupam posições de poder, a escuridão se espraia e atinge a muitos, que ficam impotentes para dela escapar” (Migliavacca, 2018, p. 67) “Verba testamentária” é um conto que instiga desde o título (para ler o conto clique aqui). Um conto que trata de um testamento é, no mínimo, curioso. Ainda … Continue lendo Nicolau – inveja e barbárie

Leituras da Quarentena – conto#5 – “Verba testamentária” (Machado de Assis, 1882)

“… Item, é minha última vontade que o caixão em que o meu corpo houver de ser enterrado, seja fabricado em casa de Joaquim Soares, à Rua da Alfândega. Desejo que ele tenha conhecimento desta disposição, que também será pública. Joaquim Soares não me conhece; mas é digno da distinção, por ser dos nossos melhores … Continue lendo Leituras da Quarentena – conto#5 – “Verba testamentária” (Machado de Assis, 1882)

As relíquias atuais do Brasil de sempre

por Priscilla Lima A realidade brasileira não se alterou muito dos fins do século XIX até a atualidade. Ainda vemos o racismo, a pobreza e a violência se manifestarem abertamente nas ruas, nas escolas, nas empresas, no cotidiano. Situações de crise fazem com que essa realidade se escancare de forma mais evidente, e revela o … Continue lendo As relíquias atuais do Brasil de sempre

Leituras da Quarentena – conto#4 – “Pai contra mãe” (Machado de Assis, 1906/2007)

A escravidão levou consigo ofícios e aparelhos, como terá sucedido a outras instituições sociais. Não cito alguns aparelhos senão por se ligarem a certo ofício. Um deles era o ferro ao pescoço, outro o ferro ao pé; havia também a máscara de folha-de-flandres. A máscara fazia perder o vício da embriaguez aos escravos, por lhes … Continue lendo Leituras da Quarentena – conto#4 – “Pai contra mãe” (Machado de Assis, 1906/2007)

Espelhos e a trajetória do opressor

por Priscilla Lima “Cuidado!”, nos alerta Mario Quintana, “A nossa própria alma apanha-nos em flagrante nos espelhos que olhamos sem querer” (1973/1995, p. 5). Mas não há como escapar deles, pois estão constantemente presentes na alteridade. Melhor dizendo, eles são o fundamento da alteridade. Busco, no olhar do outro, o reflexo de quem sou. Uma … Continue lendo Espelhos e a trajetória do opressor

Leituras da Quarentena – conto#3 – “O espelho – esboço de uma nova teoria da alma humana” de Machado de Assis (1882/2007)

Quatro ou cinco cavalheiros debatiam, uma noite, várias questões de alta transcendência, sem que a disparidade dos votos trouxesse a menor alteração aos espíritos. A casa ficava no morro de Santa Teresa, a sala era pequena, alumiada a velas, cuja luz fundia-se misteriosamente com o luar que vinha de fora. Entre a cidade, com as … Continue lendo Leituras da Quarentena – conto#3 – “O espelho – esboço de uma nova teoria da alma humana” de Machado de Assis (1882/2007)

“Acredito, logo existe”

Reflexão a partir do conto de Machado de Assis, "O segredo do bonzo" (1882/2007) (para ler o conto, acesse aqui ou aqui) por Priscilla Lima As narrativas têm um poder enorme sobre nossas subjetividades. “A vida não é a que a gente viveu, e sim a que a gente recorda, e como recorda para contá-la”, … Continue lendo “Acredito, logo existe”

Leituras da Quarentena – conto#2: “O segredo do Bonzo” (Machado de Assis, 1882/2007)¹ ²

O SEGREDO DO BONZO - CAPÍTULO INÉDITO DE FERNÃO MENDES PINTO por Machado de Assis Atrás deixei narrado o que se passou nesta cidade Fuchéu, capital do reino de Bungo, com o Padre-mestre Francisco, e de como el-rei se houve com o Fucarandono e outros bonzos, que tiveram por acertado disputar ao padre as primazias … Continue lendo Leituras da Quarentena – conto#2: “O segredo do Bonzo” (Machado de Assis, 1882/2007)¹ ²

Pandemia e a desumanização

Resenha do conto #1 da quarentena ("Na arca", de Machado de Assis) por Priscilla Lima Em seu texto de 1930, “Mal-estar na civilização”, Freud faz uma análise acerca da civilização humana. No início do primeiro capítulo, ele cita a seguinte frase de Grabbe, um dramaturgo alemão: “Para fora do mundo não podemos cair” (1930/2010, p. … Continue lendo Pandemia e a desumanização